As primeiras expressões plásticas cubanas

As primeiras expressões plásticas cubanas
As primeiras expressões plásticas cubanas

As primeiras expressões plásticas cubanas na pré-história

As primeiras expressões plásticas cubanas podem ser situadas cronologicamente muito antes da chegada dos colonizadores espanhóis. Nas aldeias e assentamentos aborígines descobertos na actualidade, tem-se podido advertir a presença de vasilhas de barro, machados petalóides de pedras simétricas finamente polidas e muitos outros objectos que são alguns exemplos destacados da cultura taína. Entre os objectos destinados para uso cerimonial ou religioso abundam os ‘cemíes’, que consistem em imagens talhadas em pedra, barro, madeira, concha ou madrepérola, as quais representam os ídolos tribais. Assim também encontramos os ‘dujos’ ou assentos de madeira de lei, como se fosse um pequeno banco de quatro pés, cujo espaldar terminava muitas vezes numa curva continuada, com molduras simbólicas que são muito estimados pelo seu valor, delicadeza e cuidado da talha.

Primeiras expressões plásticas cubanas na arte Colonial cubana

Depois de os colonizadores se terem estabelecido, fundaram as primeiras vilas e desta forma apareceram as primeiras expressões plásticas da arte colonial. Em 1592, São Cristóvão de Havana foi declarada cidade e no seu brasão apareceu a chave que indica a posição estratégica no Golfo e as três torres das suas grandes construções militares de defesa da frota, que antes de sarpar para a Espanha procedentes do México e o Peru, carregadas de riquezas, passavam pelo porto de Havana contribuindo para o esplendor desta cidade. Os castelos da Força, o da Ponta e dos Três Reis do Morro enfeitavam esse brasão e no da Força foi colocada a estátua de bronze da Bela Havana, conhecida depois como A Giraldilla, hoje símbolo da cidade. No século XVI já estavam traçadas as primeiras ruas e construídas as primeiras igrejas. Uma acta daquela época indica que no ano 1584 o pintor Juan Camargo foi o primeiro artista que realizou o retábulo da Paróquia Mor.

As primeiras expressões plásticas cubanas na arte religiosa

Na arquitectura religiosa cubana de inícios da colónia também é notavelmente visível o aparecimento das primeiras expressões plásticas. Por exemplo nas torres das igrejas utilizaram-se espirais piramidais de alvenaria, torres quadradas e poligonais e se realizaram trabalhos em madeiras finamente talhadas. A Catedral de Havana foi erguida em 1748 e surge o motivo ornamental: “La Habanera Jamba” e a supressão de pedestais. Em Havana aparecem, também, as igrejas de Santa Clara, do Espírito Santo, de São Agustín e a de Santo Domingo que era também convento e mais tarde seria a primeira Universidade Pontifícia de Cuba. As igrejas de Sancti Spíritus e de Santiago de las Vegas tinham torres com forma de cúpulas e no seu interior utilizaram-se madeiras de lei em imagens talhadas e de muitas cores de certo valor, candelabros, sacrários e missais muito bem trabalhados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentários são processados ​​.